sábado, 3 de julho de 2010

Minha aventura com As Meias Mais Simples do Mundo

No encanto que tive com o tricô, certa vez fiquei muito interessada em um assunto: meias. Lendo as mensagens do grupo Crazy Knitting Ladies, navegando na internet e tudo o mais, decidi que queria aprender como eram feitas. Comecei enviando uma mensagem ao grupo, e as meninas imediatamente me incentivaram a começar logo em vez de ficar tentando entender como se fazia. E me indicaram a receita das Meias Mais Simples do Mundo, que está disponível no site Tricoteiras.com e também no Ravelry.

Tudo começou de verdade quando minha amiga L. me emprestou seu jogo de agulhas de duas pontas e ainda me deu um novelo de Bambino de presente. Com todo esse incentivo, lá fui eu começar a tricotar. Logo de início, descobri que era fácil montar os pontos nas agulhas e dividi-los em quatro. Mas não achei nada fácil unir o último ponto ao final para fechar o círculo. Perdi um certo tempo até acertar, tricotando ponto sobre ponto, com medo de que tudo se desmanchasse. Não desmancha, viu? É só continuar tricotando, a segunda carreira vai segurar tudo no lugar. Só precisa apertar bem o fio para não deixar espaço. (Assisti ontem um vídeo do Superziper, que ensina a tricotar em agulhas circulares. O truque que aparece lá parece perfeito para terminar a primeira carreira das meias!).

Uma coisa interessante é que logo no início eu estava confusa e, quando cheguei ao final da primeira carreira, comecei a tricotar o avesso. Foi quando descobri que o tricô era circular, e nele sempre se trabalha o lado direito - a não ser no calcanhar, no caso das meias. Não é preciso ser gênio pra descobrir isso - mas se eu não tivesse tentado, não teria errado e não teria aprendido. Hoje é o dia do óbvio, não é? ;-)


Seguindo a receita, a meia começa pelo cano, com 10 carreiras em ponto barra 1x1. Ou seja, 1 ponto meia, um tricô. Depois disso você entra no modo automático, fazendo várias carreiras todas em ponto meia, até chegar ao calcanhar. Eu fiz 40 carreiras.

O calcanhar não é problema na ida - como diz a receita,"(...) trabalhe com 26 pontos deixando os outros 26 na espera. A cada duas carreiras deixe um ponto de cada lado na espera. Repetir 8 vezes". Foi o que fiz, sem problema. Mas quando comecei a volta, percebi que deixava buracos. Tentei fechá-los de várias formas, e cada pé acabou de um jeito. O primeiro ficou melhor, contrariando minha ideia de que quanto mais eu faço, melhor fica. Mas no próximo par com certeza ficará melhor.


Ficaram pequenos calombos na junção das carreiras. A do primeiro pé ficou mais uniforme, mas com espaços maiores. Calcanhares não são simples, definitivamente. Mas isso não me impede de fazer meias, ora se me impede!

E essa foi minha aventura. :) Cheguei ao fim com muita alegria, tendo aprendido muito sobre tricô e sobre mim mesma. E também como uma viciada em meias!

2 comentários:

avomeri disse...

Tudo bem por aí, Samanta?

Belinha disse...

Olá!

Já algum tempo que não passava por aqui, mas mantenho a minha opinião sobre este blogue: está muito original!

Espero também a sua visita e os seus comentários nas postagens que lá tenho (apesar de temas distintos). Comente as que quiser!

O link é:
http://blogsabernaoocupalugar.blogspot.com

Cumprimentos.